Você tem um propósito?

Já lutou por ele?

BEDA #21

Hoje, a gente vem falar um pouco mais sobre Sentido e Propósito de vida. E o que é que o Projeto Banco Mais tem a ver com isso? Eu posso te dizer que tem tudo a ver com a reflexão de hoje, porque ele vai nos ajudar a entender como aplicar noções de Matemática Financeira e Empreendedorismo para dar sentido a vida de pessoas que teoricamente não teriam muitas oportunidades de alcançarem seus sonhos.

Começamos a desvendar um pouco os objetivos do projeto em suas primeiras linhas, com uma frase que muita gente ouve por aí, mas que, às vezes, não consegue estender para a vida prática, pois apenas pensar, ou sonhar não faz ninguém realizar projetos. Para realizar sonhos e projetos é preciso colocar em ação algumas atitudes. Isso aí é trabalho do Projeto Banco Mais e agente vai entender tudo direitinho. Vamos à frase?

BancoMais.png

“Cada um de nós precisa ser a mudança que quer ver no mundo.” (Júlio Machado)

puzzle-2500328_1280.jpg

Pixabay - qimono

Quem não sonha com uma sociedade mais justa e menos excludente, não é? A gente liga a TV e assiste o dia inteiro matérias jornalísticas falando sobre desgraças e miséria, e muitas vezes a gente se pega pensando: "Puxa, como seria legal se o mundo fosse um local melhor de se viver, com oportunidade igual para todos, sem misérias, sem violência, onde as pessoas pudessem exercer sua liberdade com mais amor uns pelos outros", não é verdade?

Algumas pessoas ficam apenas no sonho, outras, partem para a ação e fazem o seu papel diário de criar oportunidades para outras pessoas e torná-las agentes comprometidas com a transformação do mundo nesse sonho idealizado por muitos de nós.

E é aí que se insere o Projeto Banco Mais, projeto que atua no município de Cabedelo, com escolas da rede pública (10 escolas, atualmente), aproximadamente 500 crianças, levando a esses educandos conhecimento de uma forma lúdica.

Trabalhar com Educação Financeira e Fiscal, não parece à primeira vista um assunto para crianças, não é verdade? Mas, como é que uma pessoa adulta chega ao ponto de não saber controlar suas despesas e receitas se não tiver uma boa orientação na infância? E além disso, como alcançar sonhos se continuarmos reproduzindo uma mentalidade unicamente materialista e voltada ao consumismo vazio, apenas para satisfazer nossos próprios desejos tornando-nos adultos potencialmente cheios de dívidas e sem condições mínimas para chegar a concretizar pequenas metas? Se não alcançarmos nossos sonhos mais básicos, como poderemos sonhar com coisas maiores, que atinjam outras pessoas de forma positiva?

Pixabay - pefertig

Lembra quando a gente tinha o hábito de colocar moedas no porquinho? E a alegria de chacoalhar o bichinho cheio e saber que já estava na hora de quebrá-lo e contar quanto fomos capazes de economizar? Melhor ainda, sabe quando a gente pensou no que poderíamos comprar com o dinheiro economizado? Pois, é... Essa alegria toda pode ser aliada ao prazer de empregar bem o que economizamos; melhor ainda se esse bem puder ser utilizado na melhoria de vida de outras pessoas e não, apenas e simplesmente, para alimentarmos o nosso prazer.

Para dar sentido a todo esse papo de dinheiro, de porquinho, de atitude correta o Projeto Banco Mais concentra seus esforços na propagação de conceitos de ética, honestidade, verdade, justiça, amizade, compromisso, união,  solidariedade e  respeito mútuo. Orienta os pequenos a refletirem sobre o valor das coisas materiais e imateriais, de forma lúdica e incorporando esses conhecimentos à educação básica. Auxilia as crianças a perceberem o valor da escola (ambiente físico) que precisa ser conservado por entender que ela é beneficiada por esse ambiente e não pode destruir ou desrespeitar seu espaço físico e nem seus funcionários. Isso é um pouco difícil, quando essas crianças estão inseridas num contexto de violência, de pouco cuidado com o que se tem. Mas, se desde a infância os alunos forem ensinados a refletirem sobre isso, podemos acreditar numa mudança significativa.

IMG-20200820-WA0095.jpg

O projeto atua em tantas frentes dentro dessas escolas que é difícil resumir aqui, em apenas uma matéria o bem que ele faz para aquela comunidade de Cabedelo. E a gente acaba se perguntando o porquê dele trabalhar apenas com 10 escolas. Na verdade, o projeto é do tamanho que ele pode ser porque ele se sustenta de doações e da venda de latinhas. Esse dinheiro é revertido em bens de consumo que são adquiridos pelas crianças, que depois de cadastradas, recebem uma conta corrente, onde acumulam bônus que podem ser trocados por brinquedos, roupas, sapatos, coisas que eles necessitam de forma a praticarem um consumo consciente que os tornará cidadãos comprometidos em exercer a cidadania também aprendendo a entender a importância dos tributos, onde eles são aplicados, etc.

A história é comprida, porque é tanta coisa boa pra falar do Projeto Banco Mais e tanta vontade de ver essas iniciativas se multiplicando pelo Brasil que dá vontade de ficar aqui o mês inteiro falando sobre a sua atuação. Algumas pessoas que descobriram o sentido de suas vidas e colocaram em ação o propósito de serem e não apenas fazerem diferença no mundo. Isso faz a gente acreditar que apesar de todas as dificuldades que passamos o ser humano tem valor e tem jeito.

Enquanto muita gente perde tempo reclamando da vida, outras pessoas arregaçam as mangas e fazem do mundo um lugar melhor. Vamos ajudar? Vou deixar aqui, um link de uma reportagem feita pela TV Correio e que mostra um pouco mais sobre o Projeto Banco Mais, nessa imagem que está aqui no quadro. Assistam. Vale a pena demais. Eu prometo que vou voltar e falar mais sobre o assunto, combinado?

Xero,

Drica Moreira.

Quem tiver interesse de ajudar com doações em dinheiro, pode doar até mesmo quantias simbólicas, como R$ 2,00 ou quanto puder.

Vou deixar, ao lado/abaixo o QRcod do Projeto.

© 2016 por Café, Livros e Sonhos. Orgulhosamente criado com Wix.com