Sobre Livros e Amizades

Olhem o rosto de satisfação desse menino com o seu livro na mão! Digam a verdade se não valeu a pena enviar o livro! Espero que ele possa curtir a história, que eu gostei demais! Mergulha nessas páginas com força, meu amigo! E vamos seguindo com nossas leituras. Xero grande para você!

Como é bom poder ser feliz, não é? Melhor ainda fazer pessoas felizes com atitudes simples. E como formar amigos que também curtam seu lazer preferido, que no meu caso, claro, é ler!

Eu te digo como: Com livros!

Pois é, a história não é muito longa, mas é muito boa!

O Abraão, o simpático rapaz ao lado, é uma dessas pessoas que veio enriquecer minha vida de leitora. Há algumas semanas atrás, pelo skoob, perguntava para mim se eu tinha interesse em vender um dos livros que eu tinha na minha estante, na categoria de lidos. Pra falar a verdade, eu não tinha intenção de vender, foi um livro que eu garimpei por um tempo e que tinha sido muito significativo em relação ao seu enredo. Até pensei em dizer que não iria trocá-lo nem vendê-lo, mas sabe quando te dá um estalo e você percebe que a história lida já está dentro de você e precisa chegar a outro coração? Pois é, senti isso depois de alguns momentos pensando em me recusar a vender.

Acho que percebi que a história devia chegar até o meu amigo e a gente combinou uma troca, escolhi um livro e depois escolhi outro, ele compraria e me enviaria o livro que eu estava pensando em obter e eu enviaria o livro que ele estava tentando conseguir, sem êxito, pois já estava esgotado e muito caro em locais que procurou. Para que, na verdade, ficar guardando um livro a sete chaves em sua estante, se ele pode fazer mais gente feliz, não é? Pois é! Deu certo a nossa troca de livros, um pouco demorada por causa da greve de correios, mas estamos aqui, cada um com seu livro.

Eu fico muito feliz em poder conhecer gente nova, de longe, por meio da leitura. São histórias simples, mas muito significativas e vai plantando no nosso jardim uma porção de amigos e amigas sem fim!

Agora é minha vez!

Eu não poderia fazer melhor do que editar minha alegria em várias poses pela chegada do meu livro, não é? O Abraão até combinou as folhas do livro com a cor da camiseta, isso foi pensado, meu amigo? Se não foi, deu super certo! (hahahahah)

O livro que eu escolhi no princípio, fazia parte de uma coleção russa que eu quero ler, mas que ainda não tive tempo de iniciar. A outra opção era um livro que eu vi numa postagem de leitura compartilhada de uma amiga minha, eu até pensei em fazer parte do grupo de leitura, mas desisti de ler com a turma, para poder ir saboreando o livro bem vagarosamente, como ele merece, e o escolhido foi esse: O caderno de receitas do meu pai, que eu ainda estou lendo. É um livro que conta a história de um cozinheiro e seu filho, uma história muito linda de amizade entre pai e filho e suas dificuldades.

O livro é maravilhoso. Toca num assunto que vez por outra eu falo em minhas postagens: propósito, sentido de vida, vocação. É muito difícil você achar que seu filho vai ser feliz e se dar bem na vida quando ele escolhe fazer culinária, ao invés de se juntar a milhares que escolhem uma profissão de status, como medicina, ou engenharia... Mas, a vida mostra que, ao contrário do que a gente pensa, não é preciso ter status para poder ser feliz, nem é preciso ganhar rios de dinheiro, mas procurar dentro de si mesmo aquilo que te move a ser quem você quer ser a sua vida inteira. E é essa história que o livro tem contado. Uma história de muito sofrimento e de muitas alegrias onde quem vence é o "Ser" e não o "Ter". Calma, eu ainda não cheguei ao fim dessa história, quando terminar eu venho aqui contar.

Enquanto isso, meu amigo, Abraão está lá desfrutando do seu livro: A Solidão dos Números Primos. História belíssima e comovente!

Vamos nessa, amigo! Plantando histórias e sonhos e colhendo boas amizades por aqui!

Xero grande,

Drica Moreira.

© 2016 por Café, Livros e Sonhos. Orgulhosamente criado com Wix.com